Teremos uma novidade em nossa página do Facebook, a história dos Santos contadas e explicadas por Gabriel Ramon.

O primeiro Santo será São Bento celebrado no próximo sábado.

Participe! Neste sábado 11/07 às 19h em nossa página do Facebook.

09 de julho de 2020

Santa Missa em honra a Santa Paulina


Confira nossa programação das missas:

Seguindo as recomendações dos órgãos de saúde:

- Uso da máscara é necessário e obrigatório;

- Higienização antes de entrar e antes da comunhão;

- Capacidade máxima reduzida em 30%;

- Idosos a recomendação é para que fiquem em casa;


07/07 - Quinta-feira - 20h Santa Missa dia de Santa Paulina.

Convidados: Toda a comunidade, Apostolado da Oração, Mãe Peregrina, Mães Intercessoras, MEC, RCC, Coroinhas, Liturgia e Coroinhas.

Após a missa, noite do pastel na cozinha da comunidade

(compre no balcão do dízimo da comunidade - R$5,00).


12/07 - Domingo - 10h

Santa Missa em honra a Santa Paulina.

Convidados: Toda a comunidade, Irmandades, Terço dos Homens, Abrindo Corações, Console e Esperança, ASPI, PPI, GBF, MONC, CPC's, Comipa, Ministros de Música, Dízimo, IVC, Ecônomos e Jovens.

Após a missa, carreteiro na cozinha da comunidade

(compre no balcão do dízimo da comunidade - R$15,00).


(em todos os dias, os pedidos serão feitos apenas para retirada, não poderá ser consumido no local).


Conheça um pouco da história de Santa Paulina. Madre Paulina (1865-1942) foi uma religiosa ítalo-brasileira. Primeira santa brasileira, foi canonizada em 2002, recebendo o nome de Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Foi beatificada pelo papa João Paulo II, quando de sua visita à Florianópolis, Santa Catarina.

Madre Paulina nasceu em Vígolo Vattaro, na Itália no dia 16 de dezembro de 1865. Filha de Antonio Napoleone Visintainer e Anna Pianezer. Com apenas 10 anos emigrou com seus pais e irmãos para o Brasil, se estabelecendo em Santa Catarina. Vários padres italianos já estavam na região, integrantes da Companhia de Jesus. Várias vilas foram surgindo com nomes das cidades italianas, como Nova Trento, Vigolo, Bezenello, Valsugana, entre outras. Em 1887 ficou órfã de mãe e cuidou da família até seu pai casar novamente.

Madre Paulina participou da vida paroquial na Capela de Nova Trento e foi encarregada de dar aulas de catecismo para as crianças. Dedicava parte do seu tempo para cuidar de pessoas enfermas. Em 12 de julho 1890, já formava um grupo que lhe ajudava a cumprir essa missão. Com a aprovação do Bispo de Curitiba, D. José de Camargo Barros, a congregação recebeu o nome de Filhas da Imaculada Conceição. Essa data é considerada como o dia da fundação da obra de Madre paulina.

Em dezembro do mesmo ano fizeram os votos religiosos e Amabile Lucia Visintainer, recebeu o nome de Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus. O Instituto começou na extrema pobreza, as primeiras Irmãs, além do cuidado dos doentes, dos órfãos e dos trabalhos da paróquia, para sobreviver deveriam trabalhar na roça e na pequena indústria de seda, muito conhecida, segundo a tradição trentinas.

Em 1903 foi eleita Superiora Geral. Depois da fundação das Casas de Nova Trento e Vígolo, foi trabalhar em São Paulo, seguindo o conselho do padre Luigi Maria Rossi, que era Pároco de Nova Trento desde 1895 e naquele ano nomeado Superior da Residência de São Paulo. Pouco tempo depois, na colina do Ipiranga junto a uma Capela ali existente, iniciou a obra da "Sagrada Família" para abrigar os filhos de ex-escravo, órfãos e velhos.

De 1909 deixa o cargo de Superiora Geral e passa a viver na casa por ela fundada em Bragança Paulista. Foram 9 anos difíceis. Em 1918, Madre Paulina foi chamada à Casa Geral em São Paulo, com pleno reconhecimento de suas virtudes, para servir de exemplo às jovens vocações da Congregação, que desde 1909 assumira o nome de "Irmãzinhas da Imaculada Conceição". Viveu 33 anos como simples religiosa.

Madre Paulina faleceu em Ipiranga, São Paulo, no dia 9 de julho de 1942. Em sua homenagem foi erguido o Santuário de Santa Paulina, em Vígolo, Nova Trento, Santa Catarina.

Comunidade Santa Paulina

Servidão Canaã, 352 - Muquém

21 de junho de 2020

Dia de São Luís Gonzaga padroeiro de nossa comunidade da Cachoeira.

O pai sonhava em torná-lo um corajoso soldado e um príncipe sábio. Feito pajem de honra em Florença, Luís constatou a corrupção a corrupção da corte. A sua reação foi se consagrar a Deus com voto de castidade com 10 anos de idade, na Igreja da Anunciação.

Aos 12 anos recebeu a primeira comunhão das mãos de são Carlos Borromeu. Enquanto rezava diante da imagem de Nossa Senhora do Bom Conselho se sentiu inspirado a se tornar jesuíta.

Entro para o noviciado dos jesuítas permanecendo 6 anos e teve como diretor espiritual são Roberto Belarmino. Recebeu as ordens menores na Igreja de São João de Latrão. Se preparava para receber o sacerdócio, sonhando com as missões e o martírio.

Ele foi chamado para Roma, a fim de completar os estudos de teologia, o que lhe deu muita alegria.

Em 1591, Roma foi assolada por uma epidemia de peste. Os jesuítas abriram um hospital para atender a população sofredora. Muitos membros da Ordem, inclusive o noviço Luís Gonzaga, ali trabalharam. Ele cuidava da vida espiritual dos doentes, exortando-os e instruindo-os na fé. Com extremo carinho, lavava e ajeitava os internados; exercia os serviços mais humildes. Na ocasião, vários padres foram vítimas da peste, entre eles Luís, que contraiu a doença carregando nas costas até o sanatório um doente que encontrou na rua.

Luís Gonzaga recuperou-se da doença, mas, muito enfraquecido, adquiriu uma febre persistente, que em alguns meses o deixou em estado de extrema fraqueza. No dia 21 de junho de 1591, entregou sua alma a Deus. Tinha apenas 23 anos de idade.

Suas relíquias repousaram na Igreja de Santo Inácio, em Roma, e ele foi canonizado em 1605, apenas 14 anos após sua morte.

São Luís Gonzaga é Patrono da Juventude, por sua tenacidade e perseverança em perseguir o ideal de santidade, desde a mais terna idade.

São Luís faleceu no dia 21 de junho de 1591.

Participe da santa missa em honra a São Luiz hoje às 19h, na cachoeira do Bom Jesus.

Oração

Ó Deus, fonte dos dons celestes, reunistes no jovem Luís Gonzaga a prática da penitência e admirável pureza de vida. Concedei-nos, por seus méritos e preces, imita-lo na penitência, se não seguimos na inocência. Por Cristo, nosso Senhor. Amém!

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon