A importância da Primeira Eucaristia

A Igreja ensina que “a catequese é uma educação da fé das crianças, dos jovens e adultos, que compreende especialmente um ensino da doutrina cristã, dado em geral de maneira orgânica e sistemática, com o fim de os iniciar na plenitude da vida cristã” (Catecismo n. 5). A Catequese é dada em tomo de quatro pilares: o Credo, que é tudo o que cremos; os sacramentos da fé, que é a celebração do que cremos; a moral baseada nos Dez Mandamentos, que é como o cristão deve viver e se comportar; e a vida de oração do cristão, com base especialmente no Pai-Nosso.

Evidentemente, essa não é uma tarefa fácil de ser cumprida bem, e que não pode ficar somente a cargo da Igreja. Os pais cristãos, que levam seus filhos para serem batizados na Igreja, têm uma enorme responsabilidade na catequese deles, pois diz o nosso Catecismo: “Os pais são os primeiros responsáveis pela educação de seus filhos na fé, na oração e em todas as virtudes. Eles têm o dever de prover, na medida do possível, as necessidades físicas e espirituais de seus filhos” (n.2252).

 

A catequese na vida dos filhos

Infelizmente, muitos pais cristãos deixam seus filhos sem essa formação espiritual, e muitos que levam seus filhos para a catequese da Primeira Comunhão não os acompanham devidamente nessa atividade espiritual fundamental para a vida deles. Muitos são os pais cristãos que não participam nem ajudam na catequese; às vezes, até dificultam-na, impedindo que seus filhos participem de todas as atividades programadas.

Outros não se interessam em acompanhar em casa o que a criança está aprendendo e vivendo na catequese. Esse tem sido um dos grandes problemas que os catequistas enfrentam. Muitos pais não comparecem às reuniões com os catequistas.

Uma criança só terá um bom desempenho na catequese se os pais tiverem junto com elas uma vivência religiosa, em casa e na Igreja. A educação, sobretudo, dá-se pelo exemplo. Uma criança que vê o pai e a mãe rezarem reza também e naturalmente. Uma criança que vai à Missa com seus pais, aprende suavemente o bom hábito de ir à Missa aos domingos e dias santos. Por isso, é lamentável que os pais coloquem seus filhos na catequese, como se fosse apenas uma obrigação, mas sem terem uma vivência religiosa, sem os levarem à igreja. Essa criança dificilmente terá um bom aprendizado das coisas sagradas de Deus.

Educação religiosa

A Igreja ensina que é na família cristã o primeiro lugar da educação para a oração. Fundada sobre o sacramento do matrimônio, a família é “a Igreja doméstica” onde os filhos de Deus aprendem a orar e a perseverar na oração (cf.n. 2685).

A Igreja ensina que “a educação para a fé, por parte dos pais, deve começar desde a mais tenra infância. Ocorre já quando os membros da família se ajudam a crescer na fé pelo testemunho de uma vida cristã de acordo com o Evangelho. A catequese familiar precede, acompanha e enriquece as outras formas de ensinamento da fé. Os pais têm a missão de ensinar os filhos a orar e descobrir sua vocação de filhos de Deus” (Cat. n. 2226).

Outra providência que ajuda na catequese dos filhos é os pais escolherem para eles uma escola que corresponda às suas próprias convicções religiosas. Hoje, em algumas escolas, é ensinado às crianças algumas coisas que não estão de acordo com a fé da Igreja. Esse direito é fundamental. Os pais têm, enquanto possível, o dever de escolher as escolas que melhor possam ajudá-los em sua tarefa de educadores cristãos.

Pais e filhos devem rezar juntos

É fundamental também para o bom fruto da catequese e da educação religiosa dos filhos, que os pais levem uma vida conjugal com espírito cristão, no amor e na fidelidade, criando um lar de paz e velando pela educação cristã dos filhos. Se, no lar, os pais não cultivam os valores cristãos, como a bondade, mansidão, amor, desprendimento, caridade, humildade, temperança, simplicidade etc., aquilo que o filho aprende na catequese não será sedimentado em sua vida. Uma educação adequada ensina a virtude, preserva ou cura do medo, do egoísmo e do orgulho. A educação da consciência da criança garante para ela a liberdade e gera a paz do coração.

Por tudo isso, o Catecismo da Igreja diz: “O papel dos pais na educação é tão importante, que é quase impossível substituí-los” (n. 2221); e isso vale, de modo especial, para a formação espiritual. Portanto, os pais que colocam seus filhos na catequese da Igreja precisam acompanhá-los, tanto no que estão vivendo e aprendendo, como complementar essa formação em casa, com bons exemplos, oração, meditação do Evangelho com eles, e participação na vida da Igreja, sobretudo da Santa Missa.

Crismar significa um acordo com Deus!

O Catecismo da Igreja Católica ensina que a Crisma, pertence, juntamente com o batismo e a Eucaristia, aos três sacramentos da iniciação cristã da Igreja Católica. Nesse sacramento, tal como ocorreu no Pentecostes, o Paráclito desceu sobre a comunidade dos discípulos, então reunida. Assim como neles, o Espírito Santo também desce em cada batizado que pede à Igreja esse dom Espírito Santo. Dessa forma, o sacramento encoraja o fiel e o fortalece para uma vida de testemunho de amor a Cristo.

A Confirmação é o sacramento que completa o batismo e pelo qual recebemos o dom do Espírito Santo. Quem se decide livremente por uma vida como filho de Deus e pede o Paráclito, sob o sinal da imposição das mãos e da unção do óleo do Crisma, obtém a força para testemunhar o amor e o poder do Senhor com palavras e atos. Essa pessoa agora é membro legítimo e responsável da Igreja Católica.

Acordo com Deus

O YOUCAT – Catecismo Jovem da Igreja Católica – afirma que ser Crismado significa fazer um acordo com Deus. O confirmado diz: “Sim, eu creio em Ti, meu Deus! Dá-me o Teu Espírito, para que eu te pertença totalmente, nunca me separe de Ti e te testemunhe com o corpo e com a alma, durante toda a minha vida, em obras e palavras, em bons e maus dias!”. E Deus diz: “Sim, Eu também creio em ti, Meu filho, e te darei o Meu Espírito e até a mim mesmo, pertencer-te-ei totalmente, nunca me separarei de ti, nesta e na vida eterna, estarei no teu corpo e na tua alma, nas tuas obras e nas tuas palavras mesmo que me esqueças, estarei sempre aqui, em bons e maus dias”.

Quem pode receber o sacramento do Crisma?

Pode e deve receber esse sacramento qualquer cristão católico que tenha recebido o sacramento do batismo e esteja em estado de graça, isto é, não ter cometido nenhum pecado mortal (pecado grave). Mediante um pecado grave, separamo-nos de Deus e só podemos nos reconciliar com Ele por meio do sacramento da Penitência-Confissão.

A Paróquia está realizando as inscrições da Catequese de Primeira Eucaristia e Crisma para o ano de 2020.
Para dar inicio a Catequese, é preciso completar 09 (nove) anos, no ano de 2020.


Onde são realizadas as inscrições?
No Santuário Sagrado Coração de Jesus, na sala ao lado da Secretaria.
Todas as quinta-feira das 19h00 às 21h30
Todos os domingos das 08h30 às 10h30 e das 19h00 às 21h00.
(Não perca essas datas, as inscrições vão somente até 31 de março de 2020).

O que é necessário levar para se inscrever?

PRIMEIRA EUCARISTIA
- Certidão de Nascimento ou Identidade da criança;
- Lembrança do batismo;
(se não possuir mais a lembrança, solicitar junto a paróquia onde foi o batizado)
- Comprovante de Residência;
- Contribuição de R$35,00;

 

CRISMA
- Certidão de Nascimento ou Identidade da criança;
- Lembrança do batismo;
(se não possuir mais a lembrança, solicitar junto a paróquia onde foi o batizado).
- Lembrança da Primeira Eucaristia;
(se não possuir mais a lembrança, solicitar junto a paróquia onde recebeu o sacramento).
- Comprovante de Residência;
- Contribuição de R$35,00;

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon